10 Dicas para um culto no lar evangélico
09/08/2018 21:42 em Pastoral

Com essas dicas para realizar um culto no lar, você vai conseguir desenvolver suas ideias e seu padrão para tornar esta iniciativa uma rotina em sua família. O mais importante é salientar que não existe uma receita de bolo, mesmo porque cada família tem sua rotina, seu histórico e suas próprias necessidades. Esperamos que este texto ajude você a realizar um culto no lar abençoado. Também achamos que você pode usar essas ideias para estimular outras pessoas a começarem seus cultos domésticos. De uma forma geral, queremos que os pais da família entendam que organizar o culto doméstico não é nenhum bicho de sete cabeças, basta estabelecer uma prioridade e uma organização para que essa prática vire rotina em seu lar também.

Em primeiro lugar, devemos levar em consideração o tamanho de cada família e a faixa etária dos participantes. Um grande problema ao tentar realizar um culto no lar é que muitas vezes encontramos orientações genéricas, que ficam difíceis de aplicar em nossa família. O tempo da reunião é algo que pode variar muito de acordo com a idade e a quantidade dos participantes. Uma família com crianças de sete e doze anos por exemplo, precisa levar em conta que a criança menor tem menos tempo de concentração e mais dificuldade de aprender figuras de linguagem, parábolas e metáforas. Uma palavra levada a um jovem de quinze anos deve ser abordada de forma diferente quando é levada a uma criança de dez ou nove anos. As crianças com menos de dez anos não precisam de tantos detalhes, muito menos de conceitos abstratos e informações teológicas. Por isso, antes de começar suas reuniões caseiras, pense individualmente em cada membro da família. Por isso, vamos começar nossas dicas justamente com essa proposta.

1. Pense em todos

Quantas pessoas tem sua família? Qual a idade de cada membro? Se você possui filhos com diferentes idades, talvez seja melhor preparar períodos diferentes para cada. Se você tem filhos com menos de dez anos, é melhor pensar em um período de 15 a 20 minutos, no máximo. Mais que isso eles vão ter dificuldades para se concentrar. Muitos pais ficam irritados quando seus filhos querem acabar logo com a reunião no lar, mas não sabem quais as necessidades e características de cada faixa etária. Uma dica, é primeiro ensinar aos filhos menores a história bíblica, e depois fazer o culto no lar com os mais velhos. Você pode optar por dispensar a criança menor, ou fazê-la participar da “segunda reunião”, mas já se prepare ver as crianças menores entediadas se a reunião se prolongar.

2. Direcione a palavra por faixa etária

Como dito antes, você precisa entender que a linguagem e a forma de contar uma história para uma criança de cinco anos é diferente de falar com uma criança de onze anos, por exemplo. Para crianças até dez anos, pense mais em histórias bíblicas, em termos concretos, não pense em Fruto do Espírito, estudo de Salmos ou de profecias. Faça uma análise de Davi, José, Bartimeu, Zaqueu etc. Ainda assim, evite comparações que exijam entendimento abstrato e metáforas. Com menos de dez anos, as crianças entendem tudo ao pé da letra, não entendem ironias, por exemplo, ou qualquer tipo de linguagem. Para crianças maiores e adolescentes, os estudos já podem ser mais direcionados à vida crista. O que aprendemos no dia a dia e como praticar nossa fé. Crianças com menos de dez anos vão ter mais dificuldades de aprender coisas do tipo a parábola do semeador, a armadura do cristão ou a semente e o joio.

3. Priorize o horário

Nosso planejamento de tempo define nossa prioridade de horário. Ao pensar em um dia semana e qual o horário do culto no lar faça disso sua prioridade. Você não pode evitar este ou aquele horário por causa da novela, do futebol, da visita da sogra. Exclua apenas o inevitável como o horário de trabalho, da escola ou das refeições. O resto deve girar em torno de sua reunião doméstica e não o contrário. No começo pode parecer difícil, mas depois você vai ver como é fácil.

4. Torne o culto do lar uma rotina

Se você já sabe que o seu culto doméstico vai ter uma rotina (normalmente uma vez por semana) se prepare para isso a longo prazo. Pense em uma sequência de estudos. Ao invés de preparar algo aleatório, pense em um assunto que você pode falar nesta semana e continuar na próxima semana. Pode parecer desgastante, mas depois que você começar, vai ver como é fácil. Fazendo este planejamento, você já vai criando assunto para três ou quatro semanas seguidas, com antecedência. Nada pior que preparar um estudo meia hora antes da reunião. Imagine um pastor preparando a pregação durante o louvor antes do culto. Prepare-se. Por isso, a rotina nos ajuda a criar encontros mais estruturados.

5. Tenha um caderno de anotações

Pode parecer exagero, mas um caderno de anotações vai facilitar muito sua vida e seu planejamento de cada culto no lar. Você vai poder anotar os temas a serem estudados, e a cada reunião, pode fazer anotações de ideias, dúvidas e objetivos. De repente, durante um estudo uma dúvida surge e você não conseguem responder na hora. Anote a questão e estude para a próxima reunião. Com as anotações você também já vai conseguir definir o assunto, ou o texto bíblico dos próximos cultos domésticos.

6. Definindo o propósito

Outra dúvida que faz muitas pessoas se perderem no culto do lar é a definição do propósito, ou seja dos temas. A reunião doméstica pode ser para um estudo mais profundo, pode ser para reforçar a palavra do último culto ou para uma reflexão sobre um trecho bíblico. Se o propósito for estudos ou reflexão sobre um trecho bíblico, você pode seguir a sequência bíblica. Começando, por exemplo, por Mateus, depois Marcos, e assim sucessivamente. Você também pode escolher temas de estudo como o fruto do Espírito, Efésios 6 ou dons do Espírito.

7. Material complementar

Você deve ter um bom material de apoio, como uma Bíblia de estudo, bíblia da mulher, bíblia do casal, bíblia infantil, bíblia da APEC, bíblia do homem, ou qualquer outra bíblia com estudos direcionados. Portanto, se você quer realmente começar essa rotina pense em adquirir uma, ou até mais de uma bíblia de estudo.

8. Faça um roteiro

Ao planejar o culto doméstico pense no tempo da reunião. Acreditamos que cerca de meia hora é o suficiente. Quando o assunto render mais que isso, tudo bem; mas não conte que toda reunião vai ter assunto para uma hora. Para fazer o momento de louvor, você pode selecionar duas músicas, uma de júbilo (mais animada) e outra de adoração (mais lenta).

9. Faça todos participarem

A interação é a chave para que todos da família gostem de participar do culto no lar. Ao levar a palavra, deixe que todos falem, exponham suas opiniões. O pai, ou a mãe, não precisa ser o dono da verdade, o “sabe tudo”. O culto doméstico serve justamente para que todos se vejam como iguais, com erros, defeitos e qualidade positivas também. Não fique na defensiva se um filho te criticar, ou apontar algo de errado no pai ou na mãe. Deixar as crianças exporem seus sentimentos vai abrir um canal de diálogo muito importante para a família toda.

10. Seja flexível

Você não precisa seguir sempre o mesmo modelo à risca. Você pode, por exemplo, fazer um rodízio de quem começa a reunião, ou quem define o próximo estudo. Por exemplo, o pai define que os próximos estudos serão sobre o livro de João, e ele leva o estudo semana após semana até acabar o estudo. Depois, a mãe escolhe o livro de Salmos para os cultos; quando o estudo de Salmos terminar, o filho mais velho escolhe qual livro será estudado nas próximas reuniões. Enfim, não se prenda a modelos pré montados. Por isso, muitas pessoas iniciam a rotina de culto no lar, mas logo não dão prosseguimento, porque seguem um padrão “encaixotado” e não se adaptam ao modelo que pegaram na internet.

Esperamos que essas dicas ajudem você e sua família a criarem uma rotina de culto no lar para que o nome de Jesus seja exaltado na vida de vocês.

Fonte: Material Gospel

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!